domingo, 26 de julho de 2009

P S G

O que faz uma mulher gostar de um homem ainda é, para mim, insondável, mas o que um homem ama numa mulher é, essencialmente, o sorriso que ela dá quando ele conta uma piada sem graça.

As piadas sem graça – ou PSG – são, de longe, o que há de mais revelador numa relação.

Declarações românticas são ok, mas convenhamos, estão desgastadas e muitas vezes carecem de sinceridade e imaginação, além de ter muitas pretensões.
As PSG têm só uma: aquele sorriso.

Os homens puxam cadeiras e pagam contas nos restaurantes, ouvem, ou fingem ouvir com atenção tudo o que elas dizem – às vezes mais embevecidos com o jeito delas dizerem do que com o conteúdo –, dão flores – alguém ainda faz isso? –, lembram de todas as datas, inclusive do aniversário da sogra – aí dão flores para ela! – puxam o saco do sogro, não falam de futebol a toda hora, enfim, vivem fazendo coisas para tentar agradá-las. As mulheres só precisam se preocupar com isso: o sorriso – sempre sincero – das PSG.

Uma série de PSG é sempre uma tentativa de início ou resgate de uma relação. Se ela sorri, uma porta está aberta. Se não, corra.

O sorriso sincero de uma PSG é inescapável. É impossível simulá-lo, já que uma PSG só pode ser identificada como tal se houver amor, ou pelo menos, algo parecido. Senão é como dizer: Olha! Um carro vermelho!

Percebe?

Existem, é claro, as piadas engraçadas, ou PE. Mas as mulheres não riem das piadas, riem dos homens que as contam. O que não é necessariamente ruim. Mas só as PSG são reveladoras.

Aí está um termômetro: uma mulher, por sua vez, pode saber muito a respeito de um homem pela qualidade de suas PSG. Um bom contador de PSG tem plena consciência de sua falta de graça. De outra forma, seria um chato banal. Um bom PSGista busca, obstinadamente, aquele sorriso. Quando o conquista, articula outra arremetida, incansável. Desenvolve o vício, voluntário, no vislumbre dos dentes da amada.

Quando um homem cerca uma mulher de PSGs, na verdade está tentando descobrir o que só quinze ou vinte anos de relação ou um exame completo de DNA poderiam – com margem de erro maior – evidenciar.

As PSG são, ou deveriam ser, a última coisa que submerge numa relação. Numa boa relação.

Às vezes, não desaparecem nunca.

14 comentários:

  1. Poxa, falou tudo...
    Outro dia msm tava pensando no desgaste dos relacionamentos e percebi que, no início, na conquista, a gente ri de qualquer besteira e faz rir tb o tempo todo... Mas, aos poucos, isso vai se perdendo... É sinal q algo não vai bem...
    Tá aí... é o termômetro da relação...

    Amei esse post!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. PSG e PE????
    Tu é demaisssss!!!
    Tb amei o post!!!

    Bjsss sr. PSGista ou PEista?!?!

    P.s. curti a nova foto, diferente, original!!!

    ResponderExcluir
  4. Como jah diria a música: "Se a gente já não sabe mais rir um do outro meu bem então
    o que resta é chorar".

    A gente percebe que gosta das palavras de alguém quando lê três textos seguidos e sorri com os três.
    Leitora assídua agora! :)

    ResponderExcluir
  5. É Carlos, esses seus textos se tornaram vícios... Mas daqueles bons, de onde sempre tiro alguma lição, na tentativa da busca incansável pela Perfeição de Vida (acho que um dos primeiros passos é descobrir como é bom rir das pequenas coisas, mas como a correria do dia-a-dia nos impede um pouco).
    Adorava quando eu ainda tinha tempo, de em um relacionamento, ouvir e rir dos PSGistas! :(

    ResponderExcluir
  6. haha, já sabia...

    PS.: Qdo alguém ri de piadas de tartarugas é um bom sinal?? A minha dúvida surgiu, pois a achei realmente engraçada, porém n sei se ela pertence ao grupo das PSGs ou PEs...

    ResponderExcluir
  7. hahaha, muito bom Carlos, e o pior é que é a mais pura verdade, quando se está no meio de uma crise, o namorado tenta fazer uma PSG e a gente não ri de ruindade ou de mau humor, mas é duas ou três e se quebra o gelo, e se abre a mão, e pronto, chegas de crise! hahaha, muito bom post Carlos!! Abraço

    ResponderExcluir
  8. Como você disse, PSG quebram a monotomia de uma crise.
    Adorei o texto e Amei a foto nova!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Eu acho que têm coisas que, se vc precisar perguntar, nunca saberá a resposta.

    Reconhecer uma piada sem graça de paixão/amor/whatever é uma "certeza" que se percebe pelos gestos. A dúvida mantém a vontade de estar alí.

    Vc e o Fabro acabam com a reputação dos homens. rs
    Ou... ajudam a mostrar como são canalhas com boas intenções.

    ResponderExcluir
  10. "Se a gente já não sabe mais rir um do outro meu bem então
    o que resta é chorar".

    eu sempre rio das piadas mais sem graças.

    ResponderExcluir
  11. Teu blog é muito legal. Textos super bacanas e bem escritos. Temas leves. Gostei. Virarei freguesa! Quem me indicou a chegar até aqui foi o Veco. Abraço, Cibele Godoy

    ResponderExcluir
  12. Um lugarzinho pra elogiar esse post, que adorei, e aproveitar pra agradecer a palheta que recebi com muito carinho de ti... show maravilhoso em NH, daqueles que arrepiam em determinados momentos...
    Ana Paula

    ResponderExcluir
  13. Muito bons teus textos...
    A PSG é demais!bom saber... kkk

    Bjãoo

    ResponderExcluir